23.9.09

Sempre há um barco para outro lugar


Erlend Øye, me dá uma carona?